terça-feira, maio 29, 2012

The baby and the cat


Spring's Door


I don’t know why spring is so cruel to me…
Before summer falls, the circle of life tends to end
And born in the hope of reaching a meaning…
The despair of knowing that spring, and its mortal beauty, will always exist,
It’s my cruel consolation.

segunda-feira, maio 21, 2012

Já ninguém te pisa o dedo do pé que não tens.


Ao meu tio Leopoldo que hoje embarcou no derradeiro cruzeiro.


Já ninguém te pisa o dedo do pé que não tens.
Sim, lembras-te? Aquele que se esfumou como um cigarro numa dessas caçadas às rolas…
Sim, as rolas? Essas que tanto gostas.
E a pedra de fazer maionese?
Tens de me dar tempo para ver se ta levo com cuidado, não vá cair até que nos vejamos outra vez. Prometo que ta levo inteira, só para te ouvir o riso rouco enquanto fazes pouco de mim.
Queres que abra o bar para bebermos a última mini da Harmonia?
Preferes um whisky elegante? O que quiseres tio. Sou o teu sobrinho.
Sim, o azul dos meus olhos é a prova evidente que sou filho dum alemão da base de Beja.
Podes acordar-me com um copo de água gelada ou dar-me aquelas sovas de cócegas. Eu prometo que acordo e não te vomito o carro como quando os quilómetros infantis até ao Algarve me enjoavam e deixavam resíduos na caixa de velocidades.
Sabes como me impressionas a falar todas as línguas possíveis e imaginárias? Ainda hoje te imito mas faltam-me as tuas vogais fechadas, fruto da fonética do bigode que cortaste ficando sobre o lábio eternamente.
Com sorte ainda vês o Sporting a perder. Não é difícil e eu fico feliz. Descansa, hás-de ser sempre o meu lagarto favorito.
Queres que chame a “Luzia por um buraco” e o “Manel cu-de-pincel”, que hoje não está a cagar no mato? (Não sejas judeu e não atires pedras!)
Talvez possamos ir aos ninhos antes de a noite cair. Enquanto for dia manter-nos-emos todos Leais.
Embarcarás outra vez. 
Este cruzeiro é uma categoria, sei que vou fazer esta rota turística. 
Teremos escalas em comum,
Aí direi que sou o sobrinho do Gomes, num inglês de vogais fechadas como teu.

domingo, maio 13, 2012

A Zen Spring

Ultimamente, nos escassos momentos de ócio que tenho, aproveito para "obturar" a Primavera que me rodeia (ou me rodeou e guardei no baú digital). É o caso desta fotografia, com mais de 7 anos, que estava por aqui esquecida e foi capturada num passeio campestre pela Ribeira do Divor (se não me engano no nome, mas sei perfeitamente a localização). Faz-me lembrar uma imagem qualquer chinesa, desses filmes tipo "Crouching Tiger, Hidden Dragon"... As cores seguramente, o entorno natural seguramente pouco terá que ver com as espécies autóctones... Boa Primavera...

Gramineae


Descansando


Caminando...


Like a bridge over a cold river...


Desde a minha janela: "Maratona de BTT Portalegre 2012"


sábado, maio 12, 2012

Olhando pelos teus passos. Sempre.


Andando por aí... I (Fisterra)


El mundo en nuestras manos


Primavera en el Jiniebro.


Nem só de pão vive o homem... estamos mais pobres em tudo. RIP Bernardo Sassetti

Estas palavras estão repletas de incredulidade. Posso afirmar que a tristeza está pasmada com o absurdo da existência. É estranho como se sente a perda de alguém que não se conhece pessoalmente mas da qual se consumiu parte da sua obra artística. Já lá vai mais de uma década quando vi ao vivo Bernardo Sassetti com o "Trio Carlos Barreto" e desde então tenho seguido a sua obra... Já não temos os três pianos... 

Sharing my heart


segunda-feira, maio 07, 2012