sexta-feira, outubro 31, 2008

Poema Nos Amamos En Una Bicicleta de Santiago Aza

Ayer tú y yo, en un solo beso para la vida,
en el amor que nos conoció a los quince años
y yo pedaleando para un nunca llegar tarde a tu corazón.
Fuimos nosotros los que inventamos el beso en una bicicleta,
la edad de las miradas con un cuaderno en la mano.
Fuimos nosotros, los que sin respirar, nos cansamos de viajar;
y ayer, sólo ayer, las calles dicen: Allí van, son ellos!,
pero fue tan rápido que pedazo a pedazo nos despedimos.
Tú y yo, querida, ahora quizás dónde, dónde volveríamos a rodar,
dónde volveríamos a comandar dos ruedas como a un barco,
dónde volveríamos a conquistar los mundos con un sueño.
Eso no m importa, porque en mi memoria tengo un niño despierto,
llevo a ese revoltoso quinceañero en los dedos del alma,
tengo aún, esos años diminutos como zapatos de liceano.
Entonces, será a las siete, te pasaré a buscar como cochero,
subirás en mi caballo veloz con rayos de aluminio,
dispuesta a saltar a la gloria al besar cada calle,
recostándote en cada parada para retomar las fuerzas.
Entonces, será a las siete, cuando llegue a tu casa,
salgas a recibirme como ansiosa de la nueva carrera.
Entonces, son las siete y recuerdo tu mano en la mía,
riendo del pedaleo en mañana y tarde,
cuando nos amamos en una bicicleta sobre la vida,
cuando se me vienen los quince felices años,
ahora que son más, sin bicicletas ni sueños.

Vino el que yo quería

Vino el que yo quería
el que yo llamaba.
No aquel que barre cielos sin defensas.
luceros sin cabañas,
lunas sin patria,
nieves.
Nieves de esas caídas de una mano,
un nombre,
un sueño,
una frente.
No aquel que a sus cabellos
ató la muerte.
El que yo quería.
Sin arañar los aires,
sin herir hojas ni mover cristales.
Aquel que a sus cabellos
ató el silencio.
Para sin lastimarme,
cavar una ribera de luz dulce en mi pecho
y hacerme el alma navegable.

Rafael Alberti

El mar. La mar.

El mar. La mar.
El mar. ¡Sólo la mar!

¿Por qué me trajiste, padre,
a la ciudad?

¿Por qué me desenterraste
del mar?

En sueños, la marejada
me tira del corazón.
Se lo quisiera llevar.

Padre, ¿por qué me trajiste
acá?

Rafael Alberti, 1924

SALAS DE LOS INFANTES (PREGÓN DEL AMANECER)

¡Arriba, trabajadores
madrugadores!

¡En una mulita parda
baja la aurora a la plaza
el aura de los clamores,
trabajadores!

¡Toquen el cuerno los cazadores;
hinquen el hacha los leñadores;
a los pinares el ganadico,
pastores!

Rafael Alberti, 1925

Vida y obra - Rafael Alberti

"El 27 de abril de 1977, tras treinta y ocho años de exilio -veinticuatro en Argentina y catorce en Italia-, RAFAEL ALBERTI regresa por primera vez a España. Sus primeras palabras al descender del avión fueron: "Me fui con el puño cerrado y vuelvo con la mano abierta en señal de concordia entre todos los españoles".

Su ya hoy mítica vida está ligada, durante casi un siglo, a los acontecimientos culturales, políticos y sociales más destacados de nuestro país. Desde su filiación al Partido Comunista, su labor en la Alianza de Intelectuales Antifascistas durante la Guerra Civil, su colaboración durante la contienda junto a María Teresa León y otros intelectuales en el salvamento de importantes obras de arte de nuestro patrimonio cultural -"Las Meninas" de Velázquez, "Carlos V" de Tiziano...-, hasta su rica presidencia honoraria con Dolores Ibárruri de las primeras Cortes Democráticas... Todo ello lo convierte en un personaje singular de nuestra historia más reciente.

Rafael Alberti ha llenado con sus versos las páginas más importantes de la poesía contemporánea. Su pertenencia a la mítica Generación del 27 lo liga al grupo de mayor esplendor poético del siglo XX, que él ha ido atravesando con una ética y dignidad ejemplares, reconocida con numerosos premios entre los que destacan el Nacional de Literatura, el Lenin de la Paz, el Nacional de Teatro y el Cervantes de Literatura".

quarta-feira, outubro 29, 2008

Saca Rabos – Cáceres (“by” José Benito Ruiz)

Os Saca Rabos têm como comportamento natural seguir a sua progenitora, enquanto crias, algo muito útil num contexto natural, mas algo fatal quando se tem que atravessar uma estrada. Esta fotografia de José Ruiz é um "infeliz" exemplo disso.
Podem ver mais fotografias em www.josebruiz.com.

segunda-feira, outubro 27, 2008

Exposição "Wild Treasures" em Leiria

Os últimos anos têm afirmado a cidade de Leiria como a capital portuguesa da fotografia em natureza, algo que já aqui tem sido mencionado nos "senderos", e, no fim-de-semana que passou, tive o prazer de desfrutar de boas exposições e de um programa bem interessante para quem gosta desta área. Mas, na minha óptica, o melhor é o ambiente que exposições deste tipo conferem a uma cidade... dinamismo e modernidade também podem ser sinónimo de consciência social e ecológica, como também ser o mais evidente motor do desenvolvimento sustentável na área da cultura.

Louva-a-Deus Assassina

É fácil entender porque razão a ficção científica sempre se inspirou no mundo dos insectos para criar os mais aterradores monstros da sétima arte. Esta fotografia, tirada junto a um aerogerador na Mata Álvaro, próximo de Oleiros, é um exemplo interessante do que afirmei... notem o detalhe de enquanto come (não sei o quê), a Louva-a-Deus mata, apertando lentamente, uma vespa...
Por acaso, a vespa salvou-se pois a Louva-a-Deus decidiu investir contra a minha máquina fotográfica.

"Esquina de Rua" - Camané

Tinhas o corpo cansado
E a cidade era tão fria
Ninguém dormia a teu lado
Ninguém sabia que amado
O teu corpo se acendia

Andavas devagarinho
Pelas ruas de Lisboa
Em busca de algum carinho
Que te fosse pão e vinho
E te desse boa noite

Eras triste se sorrias
E mais nova se choravas
As palavras que dizias
Tinham dores e alegrias
E só ternura deixavas

Por ti não houve ninguém
Para quem te desses, nua
Podias ter sido mãe
Podias ter sido mãe
Mas foste esquina de rua

sábado, outubro 25, 2008

Portugal na vanguarda do comércio Europeu


Quando a crise atinge todos os sectores e países europeus, é bom saber que Portugal é o grande impulsionador do comércio Europeu.
As importações cresceram a um ritmo extraordinário para toda a Europa através de Portugal, passando de 3 toneladas em 2006, para as actuais 35.
Há quem afirme que o governo PS é o grande responsável pelo estado em que vivemos, contudo, e contra factos não há argumentos, segundo o relatório da ONU divulgado esta semana, Portugal está como o maior responsável pelo crescente comércio com África. Mais, são referidos dois PALOP como sendo os alvos destas crescentes trocas comerciais.
Todos estes dados são maravilhosos, motivo de orgulho nacional, não fosse referir que me refiro ao comércio da Cocaína!
Bem, vejamos o lado positivo: sempre somos os primeiros em alguma coisa, especialmente em algo importante como trocas de produto e fluxo de capital – só é pena partilhar-mos este “pódio” com a Espanha.
Fica então um grande “bem haja” ao nosso governo, aos comerciantes e ao cidadão anónimo, o designado politicamente de - Consumidor!

sexta-feira, outubro 24, 2008

quinta-feira, outubro 23, 2008

"Battler Britton", ou o nosso "Major Alvega"

Major Alvega é uma personagem fictícia, ás da aviação anglo-português da RAF (Royal Air Force, a Força Aérea britânica), e herói da série de banda desenhada que fez grande furor nas décadas de 1960 e 1970 em Portugal, aparecendo recorrentemente nas páginas de pequeno formato da revista juvenil "O Falcão".

No título original em inglês tratava-se de "Battler Britton - England's fighting ace of land, sea and air". Battler Britton, criado em 1956 por Mike Butterworth e Geoff Campion, foi protagonista das mais variadas aventuras, todas caracterizadas por muita acção, suspense e um toque de humor, nas quais defrontou (e venceu) alguns dos mais importantes intervenientes da Segunda Guerra Mundial: Rommel, Goering, Hitler e Mussolini.

No entanto, numa época em que a censura (ao serviço de um Estado Novo fervorosamente nacionalista) obrigava todos os heróis do género a figurarem nomes portugueses (e por consequência alguma forma de ascendência lusa), o protagonista seria rebaptizado de Major Jaime Eduardo de Cook e Alvega, um ribatejano por via paterna e inglês por via materna, que teria frequentado os passos da academia Coimbrã enquanto estudante.

Esta banda desenhada, com argumento de Garth Ennis e desenhos de Colin Wilson, editada em Portugal pela BdMania, revisita a personagem e remete-nos para o mundo da aviação da 2ª Guerra Mundial. Uma obra de qualidade que nos faz voar de "spitfire" nas nossas imaginações!

Interessante, também, é saber que Hugo Pratt deu umas "pinceladas" nas histórias desta personagem tão familiar ao universo imaginário português.

Pensamiento del día...

"No tenía miedo a las dificultades: lo que la asustaba era la obligación de tener que escoger un camino. Escoger un camino significaba abandonar otros".
Paulo Coelho (1947-?) Escritor brasileño.

quarta-feira, outubro 22, 2008

O "Pasteleira Clube do Alentejo" já roda na web










Após algum tempo a "marinar", o projecto concretiza-se. O "Pasteleira Clube do Alentejo" já tem um blogue e está aberto à chegado de novos membros.
Podem "dar uma volta" no endereço:
http:pasteleiraclubedoalentejo.blogspot.com. Ajuda a divulgar este clube e desfruta da vida a "duas rodas"!

terça-feira, outubro 21, 2008

Martes de Cineclub: "Todas las Mañanas del Mundo"

TODAS LAS MAÑANAS DEL MUNDO narra la vida de dos personajes reales, músicos franceses del siglo XVII, que encarnan dos maneras posibles de transitar el espinoso camino del arte. Uno de ellos es el maestro de viola de gamba Sainte Colombe, un verdadero genio de su instrumento y de la composición, que desde la muerte de su esposa vive alejado del mundanal ruido y se encierra para tocar y componer en una cabaña de troncos, negándose insistentemente a acudir a la llamada de la Corte, donde se lo requiere como músico estable. El otro es Marin Marais, un joven dotado de grandes condiciones para la música, que persistentemente aboga por lograr ser aceptado como alumno de Sainte Colombe, aunque sus ideas se hallen en las antípodas de la filosofía de su maestro. Marin Marais concibe la música como vehículo para triunfar y no vacila en buscar empeñosamente su ingreso en la Corte, como forma de lograr ascenso social.

Premios:
Premios Césars 1992: Mejor Película – Mejor Director – Mejor Fotografía – Mejor Diseño Vestuario – Mejor Música Original – Mejor Actriz Secundaria (Anne Brochet) – Mejor Sonido.
Premio Louis Delluc 1991 al mejor Film Francés del año.

Nominaciones:
Berlinale 1992 Mejor Película.
Globos de Oro 1993 nominada Mejor Película Extranjera.

segunda-feira, outubro 20, 2008

O que se ouve por aqui...

Estão a dar que falar no panorama musical em português. Não os conhecia até este fim-de-semana me terem falado dos mesmos. Um amálgama de tradição, originalidade e alegria este álbum "Canção ao Lado".
Um destaque particular para a canção "Movimento Perpétuo Associativo" que o meu amigo Javier Figueiredo tão bem apresentou como os ecos residuais dos nossos estereótipos, preconceitos ou aspectos culturais...
Enfim amigos... "vão sem mim que eu vou lá ter".

sexta-feira, outubro 17, 2008

Leiria Capital Nacional da Fotografia da Natureza


fotonaturis


Nos dias 25 e 26 de Outubro todos os olhos estarão virados para Leiria. O festival internacional de fotografia de Natureza irá trazer até Leiria alguns dos melhores fotógrafos do mundo. A estes convidados internacionais juntam-se alguns fotógrafos nacionais que irão apresentar ao público o que de melhor se faz lá fora e por cá em termos de fotografia de natureza. A não perder!

Fotógrafos Convidados do 1º Festival Internacional de Fotografia de Natureza de Leiria:

o Frans Lanting com: "LIFE: A Journey Through Time" e "Every Picture Tells a Story"
o João Cosme com "Rios da Vida"
o José B. Ruiz com "Una gota una vida", "Cien por ciento natural" e "Fotografiando em hides"
o Staffan Widstrand com "Wild Wonders of Europe", "Big Five"
o Luís Quinta com "Portugal Natural"
o Nuno Sá com "Mergulho no Azul"
o Mariano Cano da AEFONA com "Melodia Natural"

Se gosta de fotografia de natureza, se preocupa com temas como a conservação da natureza, se é sensível a expressões artísticas e gosta de passar um fim de semana bem passado, então reserve já o seu lugar ou consulte o programa do evento em festival.fotonaturis.org .

As inscrições são limitadas!

Apresentação do Livro Olhares

Estão programadas apresentações do livro Olhares nas seguintes lojas FNAC:

FNAC Mar Shopping, Matosinhos
30 de Outubro, 21:30, com a presença do fotógrafo André Brito
FNAC Vasco da Gama, Lisboa
31 de Outubro, 21:30, com a presença do fotógrafo Manuel Galrinho

Últimos exemplares do Livro Olhares à venda.
Informações em livro olhares ou nas lojas FNAC.
A equipa do Olhares.com

quinta-feira, outubro 16, 2008

A propósito de "Dr. Camões"...



A primeira vez que soube da existência destes rebuçados foi através da minha avó Rita, adepta do Dr. Bayard, que me disse que estes rebuçados ajudavam a combater a tosse. Não me recordo quantos anos teria, mas que era gaiato, era.
É curioso que sempre disse o seu nome como a minha avó dizia... "Dr. Baiar"... Mesmo na sua ignorância linguística sempre soube falar com alguma correcção.
Pena que a vida nos retire o nosso perfeito juízo... Será que ela ainda se recorda dos rebuçados?

"Café Portugal" na Fundação Eugénio de Almeida




O fim-de-semana que passou ficou marcado pela minha visita à exposição patente na Fundação Eugénio de Almeida em Évora. Esta denomina-se "Café Portugal" e tem o apoio da Presidência da República. Não é nada do outro mundo, no entanto tem obras muito interessantes da quais destaco aqui algumas imagens. Também é uma oportunidade de ver como Portugal é visto por muitos dos seus artistas e intelectuais. Retenho particularmente a afirmação de uma das artistas patentes na exposição: "Ser artista em Portugal é um acto de fé".
Enfim, em questões sintomáticas deste tipo, recomenda-se rebuçados "Dr. Camões"... eu tirei uns quantos, fotografei-os e depois vi o "que era bom para a tosse".

Desafio à leitura


Publicado em 2006, ‘Gomorra’ conta como a Camorra, mais concretamente o poderoso clã Casalesi, domina a vida dos habitantes de Nápoles e a maneira suja como consegue dinheiro. O livro – que já vendeu 1,2 milhões exemplares em Itália e foi adaptado ao cinema – enfureceu a máfia, que não hesitou em ameaçá-lo de morte.
Nos últimos dias os jornais italianos noticiaram, citando informações de um arrependido, que o líder do clã Casalesi, Francesco Schiavone, já preso, deu ordem para matar o escritor de ‘Gomorra’ antes do Natal.
Saviano, que vive com escolta policial 24 horas por dia e dorme em quartéis, está farto. "Que se dane o sucesso. Quero a vida. Quero dar um passeio a pé, apanhar Sol, andar à chuva, encontrar-me com a minha mãe sem a assustar e sem ter medo", comentou o autor napolitano, de 29 anos.
Por razões óbvias, o escritor não quis adiantar para onde vai viver, mas revelou que em 2006, depois de o livro ter sido lançado, rejeitou uma proposta da polícia para viver em Nova Iorque. "Escolhi ficar aqui, mas por mais quanto tempo poderei carregar esta cruz?"

terça-feira, outubro 14, 2008

I Jornadas Internacionais de Pedestrianismo

As I Jornadas Internacionais de Pedestrianismo realizam-se, de 16 a 19 de Outubro, na Estação Agronómica de Oeiras, sob o tema “Pedestrianismo e Percursos Pedestres como instrumentos de interpretação e conservação da natureza”. Este evento, organizado pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal (FCMP) e pela Câmara Municipal de Oeiras (CMO), conta com os apoios do Instituto do Desporto de Portugal (IDP) e da GDF SUEZ.

Pela primeira vez, e para comemorar a 10ª edição das Jornadas Nacionais de Pedestrianismo, a FCMP pretendeu juntar as jornadas nacionais e técnicas numa única iniciativa de cariz internacional. Nesse âmbito, o evento conta com a participação de palestrantes de Espanha, da Federación Española de Deportes de Montaña y Escalada (FEDME), tal como de França, da Fédération Française de la Randonnée Pédestre (FFRP). Além disso, também envolve a participação do Vice-presidente da Federação Europeia de Pedestrianismo (ERA European Ramblers Association).

As “Jornadas Técnicas de Pedestrianismo”, que irão decorrer nos primeiros dois dias das I Jornadas Internacionais de Pedestrianismo, são destinadas apenas a Quadros Técnicos da FCMP/Escola Nacional de Montanhismo (ENM) e técnicos de outras federações, autarquias ou outras entidades expressamente convidadas.

As Jornadas Internacionais de Pedestrianismo s.s. realizam-se durante o fim-de-semana (de 18 e 19 de Outubro) e são abertas ao público em geral, praticantes, técnicos, dirigentes, alunos, professores, etc..


Ponto de encontro e secretariado - Estação Agronómica Nacional

Programa
16 de Outubro (Quinta-feira)
Recepção dos participantes (9.00 a.m.)
Abertura das Jornadas Técnicas (9.30-10.00)
Coffe-break 10.00-10.30

Workshop 1: GPS e aplicações informáticas em Percursos de Interpretação - Javier Aradas Marinas (10.30-13.00)(14.30-16.30)
Coffe-break (16.30-17.00)

Workshop 2: Aplicações do Google Maps e Google Earth em Pedestrianismo e Percursos Pedestres - Rúben Jordão (17.00-19.00)
Workshop 3: Observação e Identificação de Cogumelos (14.30-18.00)

17 de Outubro (Sexta-feira)
Painel I: Percursos de Interpretação (9.00-11.00)
11.00-11.30

Painel II: Estratégias de Interpretação (11.30-12.30)
Almoço (13.00-14.30)

Debate: Regulamento de Homologação de Percursos (14.30-16.30)
Coffe-break 16.30-17.00
Percurso Pedestre de observação de Aves (17.00-20.00)

18 de Outubro (Sábado)
Recepção dos participantes (a partir das 9.00 a.m.)
Abertura das Jornadas Internacionais (9.30-10.00)
Coffe-break (10.00-10.30)
Painel 1:
Interpretação da Natureza (10.30-13.00)
Almoço 13.00-14.30
Painel 2: Pedestrianismo e Conservação da Natureza (14.30-16.30)
Coffe-break 16.30-17.00
Debate: Pedestrianismo e Acesso à Natureza (17.00-19.00)

19 de Outubro (Domingo)
Painel 3: Ecovigilância (9.00-10.00)
Coffe-break (10.00-10.30)
Painel 4: Cooperação Internacional /GDF SUEZ (10.30-11.30)
Percurso Pedestre (11.30-13.00)
Almoço de encerramento (13.00)

Inscrições
1- As inscrições e respectivo pagamento, devem dar entrada na sede da FCMP, até dia 15 de Outubro de 2008.
2- Às inscrições entradas depois desta data não se garante almoço e acresce 5euros ao valor de inscrição. Podem ser efectuadas no local
3- Ficha de Inscrição
(PDF)

Taxas de Inscrição
A inscrição nas “Jornadas Técnicas de Pedestrianismo” é gratuita e inclui documentação, frequência de workshop (consoante as vagas disponíveis) e percurso pedestre.
A inscrição nas Jornadas Internacionais de Pedestrianismo custa 15 euros e inclui documentação, percurso pedestre e almoço de encerramento.

"Rostro Marroquí" por Marisa Gomes

sexta-feira, outubro 10, 2008

"Poema" dirigido a um ministro de Salazar

Uma amiga enviou-me há pouco tempo este suposto poema outrora enviado ao entäo ministro da agricultura de Oliveira Salazar, em pleno Estado Novo. Segundo a mesma, o senhor eborense (quiçá) näo foi preso e o Presidente do Conselho até se fartou de rir. Merece a pena uma leitura, mesmo que näo tenha nenhuma veracidade histórica.

- E X P O S I Ç Ã O -

Porque julgamos digna de registo
a nossa exposição, senhor Ministro,
erguemos até vós, humildemente,
uma toada uníssona e plangente
em que evitámos o menor deslize
e em que damos razão da nossa crise.

Senhor: Em vão, esta província inteira,
desmoita, lavra, atalha a sementeira,
suando até à fralda da camisa.
Falta a matéria orgânica precisa
na terra, que é delgada e sempre fraca!
- A matéria, em questão, chama-se caca.

Precisamos de merda, senhor Soisa!...
E nunca precisámos de outra coisa.

Se os membros desse ilustre ministério
querem tomar o nosso caso a sério,
se é nobre o sentimento que os anima,
mandem cagar-nos toda a gente em cima
dos maninhos torrões de cada herdade.
E mijem-nos, também, por caridade!

O senhor Oliveira Salazar
quando tiver vontade de cagar
venha até nós solícito, calado,
busque um terreno que estiver lavrado,
deite as calças abaixo com sossego,
ajeite o cú bem apontado ao rego,
e como Presidente do Conselho,
queira espremer-se até ficar vermelho!

A Nação confiou-lhe os seus destinos?...
Então, comprima, aperte os intestinos;
se lhe escapar um traque, não se importe,
quem sabe se o cheirá-lo nos dá sorte?
Quantos porão as suas esperanças
n'um traque do Ministro das Finanças?...
E quem vier aflito, sem recursos,
Já não distingue os traques dos discursos.

Não precisa falar! Tenha a certeza
que a nossa maior fonte de riqueza,
desde as grandes herdades às courelas,
provém da merda que juntarmos n'elas.

Precisamos de merda, senhor Soisa!...
E nunca precisámos de outra coisa.

Adubos de potassa?... Cal?... Azote?...
Tragam-nos merda pura, do bispote!
E todos os penicos portugueses
durante, pelo menos uns seis meses,
sobre o montado, sobre a terra campa,
continuamente nos despejem trampa!

Terras alentejanas, terras nuas;
desespero de arados e charruas,
quem as compra ou arrenda ou quem as herda
sente a paixão nostálgica da merda

Precisamos de merda, senhor Soisa!...
E nunca precisámos de outra coisa.

Ah!... Merda grossa e fina! Merda boa
das inúteis retretes de Lisboa!...
Como é triste saber que todos vós
Andais cagando sem pensar em nós!

Se querem fomentar a agricultura
mandem vir muita gente com soltura.
Nós daremos o trigo em larga escala,
pois até nos faz conta a merda rala.

Venham todas as merdas à vontade,
não faremos questão da qualidade.
Formas normais ou formas esquisitas!
E, desde o cagalhão às caganitas,
desde a pequena poia à grande bosta,
de tudo o que vier, a gente gosta.

Precisamos de merda, senhor Soisa!...
E nunca precisámos de outra coisa.


Pela Junta Corporativa dos Sindicatos Reunidos, do Norte, Centro e Sul do Alentejo


Évora, 13 de Fevereiro de 1934


O Presidente

D. Tancredo (O Lavrador)

Nobel de Literatura 2008

El Nobel de Literatura 2008, fue para el escritor galo Jean-Marie Gustave Le Clezio

ESTOCOLMO.- El escritor francés Jean-Marie Gustave Le Clézio, de 68 años, es el ganador del Premio Nobel de Literatura 2008.

Con su nombramiento, suman 14 los escritores de esa nacionalidad galardonados con esta distinción.

Le Clézio, que tiene fuertes lazos con México y Panamá, recibió el premio por una obra dedicada a los temas del viaje, el exilio y la nostalgia de los mundos primitivos.

La Academia sueca catalogó al francés como un "escritor de la ruptura, la aventura poética y el éxtasis sensual. Es un explorador de la humanidad más allá y por debajo de la civilización reinante".

Al conocer la noticia, el autor, dijo estar "muy emocionado" por el premio. "Es un gran honor para mí".

Le Clézio afirma deber mucho a México y Panamá, donde vivió, cerca de los indios, varios meses en 1970. "Esa experiencia cambió toda mi vida, mis ideas sobre el mundo del arte, mi manera de ser con los otros, de andar, de comer, de dormir, de amar y hasta de soñar", puntualizó. Su nombre figuraba entre los favoritos de los círculos literarios suecos desde hace varios años, y en 2008 ha sido citado con insistencia como posible laureado del Nobel.

El pasado junio, recibió el premio literario sueco Stig Dagerman, que le será entregado el próximo 25 de octubre en Estocolmo.

El ganador nació el 13 de abril de 1940 en Niza (sur de Francia) en el seno de una familia bretona, del noroeste francés. Está considerado como uno de los maestros de la literatura francófona contemporánea, con una escritura clásica y aparentemente simple pero refinada y llena de color.

El autor entró por la puerta grande en el mundo de la literatura al recibir en 1963, a sus 23 años, el premio Renaudot por su obra "Le procés-verbal" (El proceso verbal).

En su obra, muy diversa, Le Clézio habla de sus viajes y de las distintas culturas de América Latina, África y Oceanía.

Al comienzo de su carrera, estuvo influido por el movimiento del "nouveau roman" (nueva novela), posteriormente evolucionó hacia una literatura más espiritual, en la que a menudo aparece como tema el paraíso perdido.

"El punto central de la obra del escritor se desplaza cada vez más hacia una exploración del mundo de la infancia y de la propia historia familiar", dijo la Academia en un comunicado. Desde su juventud, el novelista ha viajado a menudo por los Estados Unidos, Tailandia y América Latina. (AFP-EFE)

Cronología de los ganadores galos


Hasta la fecha son 14 los escritores franceses premiados con este galardón.

Por orden cronológico son: En 1901 Sully-Prudhome; en 1904 Frédérique Mistral; en 1915 Ramain Rolland; en 1921 Anatole France; en 1927 Henri Bergson; en 1937 Roger Martin Du Gard; en 1947 Andre Gide; en 1952 Francois Mauriac; en 1957 Albert Camus; en 1960 Saint-John Perse; en 1964 Jean-Paul Sartre, que lo rehusó; en 1985 Claude Simon y en el 2000 Gao Xingjian, de origen chino, pero nacionalizado francés.

La Academia otorga el premio al autor de la obra literaria más notable de inspiración idealista. (EFE)

in:http://www.hoy.com.ec

quinta-feira, outubro 09, 2008

La fuente de la eterna anciana

"Joan Doe"


A tipa que fotografei na Internet. Estranha afirmação esta. Mas é verdade, assim foi. Estava a ver o meu correio electrónico quando abri um ficheiro com esta rapariga a fazer um "strip" (aqueles e-mails reenviados a milhares de homens). Por acaso tinha a minha câmara ao lado do computador e lembrei-me de fotografar o ecrã. O resultado foi curioso, com texturas que marcaram tão sórdido momento. Aqui estão as provas...
Não sei quem é a "modelo", não tenho nem ideia... só sei que dançava para uma webcam que a pôs a circular pela rede. Esta é a minha "Joan Doe".

O sol, o gato e uma manhã igual a tantas outras...

"Alentejo Blue"


"Uma visão apaixonante da vida alentejana por uma das mais importantes autoras inglesas da actualidade.

Alentejo Blue conta-nos a história de uma pitoresca vila alentejana chamada Mamarrosa, através daqueles que lá vivem, viveram ou que por lá passaram.
Para uns, Mamarrosa é um lugar de onde se quer fugir, para outros, um local de refúgio. No café do Vasco confluem habitantes e forasteiros, com as suas histórias de vida recheadas dos mais banais – e ao mesmo tempo marcantes – aspectos humanos.
Um romance que mantém uma universalidade sustentada na profundidade narrativa das suas personagens. Uma história extraordinariamente humana que nos mostra o estilo bem característico da escrita de Monica Ali".


É curioso que o New York Times elegeu esta obra entre os 100 livros notáveis do ano e, apesar da autora ser de língua inglesa, é uma obra sobre Portugal. Tenho-o na minha casa, versão original, falta-me agora coragem e tempo para lê-lo. Mas a destacar está o local onde decorre a acção... o meu "Além Tagus"... o Alentejo da minha alma...

Hace treinta años murió Jacques Brel…

Pena que nos dejó muy pronto. Este belga, francés de alma, llevó la música en francés a un nivel, que marcó para siempre el panorama musical. Este hombre supo como emocionar su público y sus canciones no eran simples letras que rellenan papel.

Conocí a Brel, todavía era muy joven, por intermedio de mi antigua profesora Amelia Mendoza que solía decir “si Dios existe está en estas cosas”… “Ne me quitte pas” quedará en mi memoria como la banda sonora de tiempos en que disfruté de la compañía de genta muchísimo mayor que yo y que me educaran a través del arte. Nunca lo olvidaré.

Presidential Material


Ainda há gente que pensa que a banda desenhada é coisa de crianças. Ora vejam bem a sua utilização política para as presidenciais norte-americanas! Quiçá uma "graphic biography"!

quarta-feira, outubro 08, 2008

Relatos al Atardecer


Este librito fue un regalo de una alumna mía (¡Gracias Carmen!). Es pequeño en tamaño pero me despertó un gran interés… es una recopilación de crónicas, cuentos, publicados en el periódico “El País” con un denominador común, son todos de autores de origen extremeño.

No sé si es fácil acceder a este libro, pues fue una edición de la Junta de Extremadura, creo que de 2003, pero debo deciros que disfruté muchísimo con su contenido y es un crimen no compartir algunos de sus cuentos con todos los enamorados de esta zona oeste de España…

"Os Peregrinos Sem Fé"


Este livro tem como fio condutor a tradição do caminho de Santiago. Duas personagens, duas épocas, o caminho e a "Eneida". Este autor não é um novato nas lides da literatura e, apesar de apenas conhecer esta obra, creio que se trata de um autor digno de figurar nas nossas estantes e nas nossas mesas-de-cabeceira durante uns tempos.

Leiam e vejam bem que há muitos peregrinos sem fé, mais do que pensamos…

terça-feira, outubro 07, 2008

Martes de Cineclub: 4 MESES, 3 SEMANAS, 2 DÍAS

Sinopsis

Otilia y Gabita comparten habitación en una residencia de estudiantes. Ambas van a la universidad en una pequeña ciudad de Rumanía durante los últimos días del comunismo. Otilia alquila una habitación en un hotel barato. Han quedado con un tal Sr. Bebe por la tarde. Gabita está embarazada, el aborto es ilegal y ninguna de las dos ha pasado por algo parecido antes.

4 MESES, 3 SEMANAS, 2 DÍAS forma parte de un proyecto más amplio titulado Relatos de la edad de oro, una historia subjetiva del comunismo en Rumanía contada mediante su leyenda urbana. El objetivo del proyecto es hablar de aquel periodo sin hacer referencias directas al comunismo, contando diferentes historias que enfoquen opciones personales en una era de infortunio en la que la gente tuvo que vivir como si fueran tiempos normales.